Amor...Amour...

Publié le par Rosario Duarte da Costa

 

 

Memória de um campo de papoilas
Auteure: Isabel Daniel "olhares.com"

 

 

Amor...

 

Amor...

Essas papoilas vermelhas são como os cravos

que se abriram um dia, quando era Abril.

E olhando o azul sereno do céu sobre os trigais,

véem as nuvens brancas debruadas de esperança.

 

Essas papoilas vermelhas são o sangue

que nos corre aqui, por entre as veias...

ondulam como o mar, quando se afoga,

por entre a terra embaínhada de areias.

 

São o sangue, o amor e a esperança,

de um povo olhando o verde dos trigais...

por isso elas bailam a virtuosa dança

que nos encanta, e nos dá muitos rituais!

 

Entre cravos e papoilas não há ciúme,

cada um nos dá a vida partilhada.

Se a papoila é frágil e invertida,

o cravo é uma grande desgarrada!

Rosario Duarte da Costa

Copyright

27/03/2013

  Bati à porta do monte

Commenter cet article