Amarela a casa!

Publié le par Rosario Duarte da Costa

 

 

Auteur de la Photo: Luis Miguel Inês

amarela a casa!

 

era amarela a casa. baixa e amarela,

e estava de braços abertos entre duas ruas.

era um amarelo de outono, como quando o sol bronzeia

as folhagens das árvores. e à entrada, havia um espelho

dourado, amarelecido pelo tempo e, uma mesita com

dois cadeirões amarelos de verga. um quadro na parede

evocava a caça inglesa, com os cães correndo

de perdizes na boca. era uma casa cheia –de tudo-:

de amor, frutas e feridas (estas nunca sararam).

 

num canto  da entrada, via-se a pequena estante com os livros

de Garrett chupando o ar. e Eça ao lado, ía atirando foguetes

nas tristes noites de inverno.

 

as pessoas foram arrancadas à casa –amarela,

e ao chafariz que estava incrustado na parede do lado da rua.

e tanto tempo depois, tudo sangra: a casa amarela,

as pessoas e as coisas, que se diluíram no tempo!

 

Rosario Duarte da Costa

Copyright

20/01/2013

 

Commenter cet article