Sobre a Poesia ""Ameaçado Vivendo" de José Emílio-Nelson

Publié le par Rosario Duarte da Costa

 

@@

Auteure des photos, sur cette page: Maria Luiza Kruppa de Menezes"olhares.com"

 

Sobre a Poesia

"Ameaçado Vivendo" de José Emílio-Nelson

 

 
Autra ideia forte será o domínio do registro polifónico, numa obra cuja dispersão oblitera uma rigorosa consciência orgânica. [...] Avesso do pudicissímo ar do tempo

em clave minimalista ou grandiloquente. [...].

Por oposição à escola des neoconservadores que entre nós ganharam terreno

na última década, Emílio-Nelson será um neo-expressionista que não recua

em dar testemunho do real sem aspas.

Eduardo Pitta (Poète, écrivain, chroniqueur...)

 

Orvalhos perfumados.

LEITOR IMOTIVADO

 

Nutrido pelo esgoto, baixo-ventre, a haste cinzenta resplendeu.

 

(Não basta a recurrência à “consumação” de Rétórica.

Quere-se mais.)

 

O pássaro a cantar as penas do seu leque,

O doirado das talhas que eleva no seu voo.

 

Espera o Leitor “benévolo, malévolo” a primazia do verso com

                passado que o faça perder na perdição compassada.

(Que o poeta continue a florir em radiantes arroxeados e que

                 resplandeça de púrpura desprendida.)

E assim adverte que não compra o crepúsculo nascido da frase

                 soprada.

 

(O “vulgo vil” rejeita

“ Por obscurecimento”.)

In: Almeaçado Vivendo

de José Emílio-Nelson

Rosario Duarte da Costa

Copyright

05/04/2013

 

Commenter cet article