Umas horitas de solidão!

Publié le par Rosario Duarte da Costa

A pensadora 

Auteure des photos sur cette pege:FabyMolina"olhares.com

 

Livre-Arbítrio

Umas horitas de solidão!

 

Estou aqui em casa sózinha, o que gosto imenso porque,

para escrever gosto do silêncio e, basta-me um cantinho,

um cigarrito no ambiente da noite.

Diga-se que em França já são vinte horas e meia, eu

apressei-me para ingerir apressadamente qualquer coisa,

ficando disponível muito cedo. Ouf!

É verdade que terei que me deitar por volta das 23 horas,

amanhã terei muito que fazer e, não quero ter a cara

desfeita!

 

Olhei para esta biblioteca que tenho aqui ao lado e, tive

a sensação que ela engravidou. Portanto, passo o tempo a

mudar-lhe as prateleiras, para que elas não se deformem.

Agora, nem sei se terei tempo ou força, neste fim de

semana estarei ocupada com o Alexandre e, para a outra

partirei uma semana até Paris...

Alguém tentou convencer-me de meter todos os meus livros

num pequeno saco, comprar uma “liseuse” para caminhar

com toda a biblioteca, nas mãos. Arrepiei-me logo. Deitar

os meus livros fora, seria já morrer...

Agora, tudo é electrónico. Qualquer dia, até os nossos filhos

serão feitos electrónicamente!

 

De facto, não sou nem nunca fui contra a evolução

técnológica mas, por um lado adoro ter nas mãos um livro

de papel e, por outro, penso que um dia ainda ser serão

capazes de modificar o estratagema (como o fizéram para

as cassettes que depois tivéram que ser substituídas por

DVD) e, recomeçaria a pagar de novo toda a literatura.

Malandros!

E ainda...tudo o que guardei como documentação sobre os

autores, os livros autografados; ou aqueles onde eu anotei

a lápis, coisas que me pareciam importantes, iriam para

o lixo?

E os encadernados, alguns numerotados também serviriam

a lixeira?!

Mas, que coisa. Tudo isto é demasiado.

E, depois dizem que a Terra se engasga, com tanto despejo!

Rosario Duarte da Costa

Copyright

05/09/2012

Nota Béne:

Tentei cantactar a autora destas fotografias e, ignoro porquê, não consigo.

Se a autora não aceitar a utilização da sua obra, é dizer-me. Obrigada!

 

 

Lua

 

Publié dans Dialogues

Commenter cet article