Para isso foram preparados!Ils ont été préparés pour cela!

Publié le par Rosario Duarte da Costa

 

Engraxador 

Auteur des photos sur cette page: jorge simão meira"olhares.com"

 

A Cadeira do Barbeiro

 

Neste momento em que as fábricas cessam os cessaram de

martelar...

No momento em que os homens perderam o trabalho e, a

honra...

Neste período em que a crise nos bateu à porta com força e,

pretensão...

 Procurei este poema que tinha publogado em 2010, para vos

dizer que:

Entre o martelar e os silêncios, é sempre o homem que paga

a rudeza da vida!

 

Para isso foram preparados!

 Ils ont été préparés pour cela!

 

Para isso foram preparados. Para o trabalho

proletarizado. Com o barulhinho contínuo

ao  lado, aquele bater das máquinas afiado

entrando nos ouvidos. E no ar íam os ais

perdidos! Ai, aquelas grandes fábricas levantadas

com grandes torres erguidas enfumadas

explodindo a sua lava -como um vulcão danado-

sobre a carne e o sofrimento do proletariado!

E as manhãs erguiam-se nas noites frias

no tédio da vida e nas suas melodias

enterradas no estrume à beira dos caminhos

tóxicos e tristes -como os carneirinhos

nos montes vazios de pasto- onde deixavam rasto!

Para isso foram preparados. Para os rires enterrados

nos prantos, quando a dignidade se perdia

indignamente no mar da injustiça e, a fome subia

com o odor de um pedaço de pão, cozido ali

no forno quente da tia qualquer coisa um dia

chegando o infinito cujo olhar já nem se via

de tanto ter visto o finito no abismo crescente,

onde só o céu descia lentamente e dizia:

espera...espera. Espera um pouco mais ainda

mesmo se a tua vida é dura e ela te enfastia

tu és a pérola rara, imaculada e macia

como um grande reflexo azul da poesia!

4/12/2010(over-blog)

 

Rosario Duarte da Costa

Copyright

18/06/2012

 

Esta Velha Angústia.

 

Publié dans Les doigts du jour!

Commenter cet article