Nos Yeux ! (et les yeux de nos enfants)

Publié le par Rosario Duarte da Costa

 

 Shutterstock

image: http://revistagalileu.globo.com/

 

Nos Yeux !

 

Le soir, mes yeux sont souvent fatigués…Je crois que c’est l’informatique qui me provoque leur stress.

Et, je me questionne sur nos enfants et petits enfants, de plus

en plus obligés d’avoir leurs yeux sur un écran.

Il y a peu de temps j’ai lu un article qui parlait des jeunes

asiatiques. J’ai aussi entendu ce que j’ai lu dans un reportage

télévisuel : ces enfants ont –semble-il, de plus en plus de

problèmes ophtalmologiques tels la myopie. Cela serait lié

aux nouveaux modes de communication (lecture sur écran

par exemple).

Alors que faudra-t-il faire, pour arrêter ce fléau ?!

Rosario Duarte da Costa

Copyright

08/09/2012 

 

http://revistagalileu.globo.com/

+DIZ+ESTUDO.html 

Alunos pioraram nas provas à medida que o computador e a internet banda-larga chegaram às suas casas

A internet abre as portas para uma grande variedade de informações. Mas isso não necessariamente é bem aproveitado por todos. Estudo da Universidade de Duke, Estados Unidos, constatou que o desempenho de pequenos internautas em provas de matemática e leitura é significantemente menor do que os que não tem acesso ao computador em casa.

A pesquisa, coordenada pelos professores Jacob Vigdor and Helen Ladd, analisou um questionário sobre o uso de computadores, aplicado juntamente com o teste de finalização de ano (End-of-Grade tests ) em mais de 150 mil alunos, do Estado da Carolina do Norte, estudando da quinta a oitava série, entre os anos 2000 e 2005.

Com os dados recolhidos, foi possível fazer comparações entre os diversos perfis de estudantes, que têm o aparelho ou não. O resultado mostrou “uma modesta, mas significativa” piora dos alunos em testes de matemática e leitura, à medida que o computador e a internet banda-larga chegaram às suas casas.

>> Primeiro homem infectado com vírus de computador

>> Acesso à internet no Brasil cresce 10% em 2009

“Em 2005, o acesso banda-larga à internet estava disponível em quase todos os endereços da Carolina do Norte”, disse Vigdor ao site da universidade. Mesmo assim, os pesquisadores acreditam que, nos anos seguintes, a situação muito provavelmente piorou, graças ao sucesso das redes sociais, Twitter e Facebook.

Os pais tendem a acreditar que o acesso à internet é positivo – o filho teria, antes de tudo, uma ferramenta de produtividade. Mas os cientistas mostram que isso pode não acontecer realmente. As crianças geralmente usam o computador para socializar e jogar – e há aí uma divisão clara entre as meninas e os meninos, respectivamente.

 

 

 

 

Publié dans Dialogues

Commenter cet article