Essa cara de argila...Poema antecedentemente publogado.

Publié le par Rosario Duarte da Costa

roger

sculpteur: Sérgio Prata

 

Este poema anteriormente publogado, veio-me ontem às

mãos e, sentindo o que disse, volto redizê-lo!

 

 

“O espirito não esta nas palavras mas no que se passa entre elas ou

sob elas”

Virgilio Ferreira

 

Essa cara de argila

 

Essa cara de argila

moldada

aprofunda o silêncio

num olhar oceânico

 

Há um tempo tão ausente

chapinhando na água

         intrusa

a esta nossa sociedade

 

Sangra um espanto

                   súbito

no calor dos nossos corpos

                   já usados

 

E há um grito, uma emoção

debruçados nas janelas

                   do nosso olhar

 

Com uma tentação irresistível

de voltar ao início

                   doutro tempo tão velho!

Rosario Duarte da Costa (over-blog)

06/05/1998

Copyright

 

Publié dans mots!

Commenter cet article