e minh’alma levantada/et mon âme debout (Poème)

Publié le par Rosario Duarte da Costa

 

A COR DA ROSA

Auteure des Photos sur cette page: mariadomar29"olhares.com

(Photo en votation)

P U R E Z A
e minh’alma levantada

et mon âme debout

 

Mãe, foi ontem. eu vesti-te e,

guardei-te na arca da minha recordação.

e sobre o tempo que pássa

tudo vem e se balança

no jardim da minha vida.

 

guardei aqui estas rosas

muito velhas e tão formosas,

cheirando ainda à infância.

vem-me o nome tão pequeno

que me traz o céu ameno.

 

e o retrato amarelito

com teu sorriso espetado,

que ficou em mim gravado

entre a vida e a morte.

mas nunca perdi o norte,

minha mãe e tão amiga,

oiço ainda aquela cantiga

“do lavar os cueirinhos

à fontinha de Belém”.

 

mãe foi ontem e, é hoje;

e será amanhã também.

todo este amor que te tenho

viverá eternamente

no seio da minha mente.

e minh’alma levantada,

responderá sempre à chamada

minha mãe e minha amiga,

ainda te oiço a cantiga...

Rosario Duarte da Costa

Copyright

05/09/2012

 

(PS: Tentei contactar a autora das Fotos, perdi-me e, não a reencontro...Não tendo tempo, se esta desacordar com a utilização das suas fotos, é dizer-me e, ei retirarei. Obrigada!)

 

Mais um "pôr do sol"

Publié dans Mère! Mãe!

Commenter cet article